quarta-feira, 29 de julho de 2009

Meu lado Bridget Jones

Uma das minhas personagens de filmes predileta é a jornalista Bridget Jones. Além de ser interpretada pela Renée Zellweger, por quem eu tenho uma admiração incrível, Bridge é, de fato, a mulher que todas nós temos dentro de nós mesmas.



Quem nunca brigou com o namorado idiota porque o pegou traindo ou ficou dividida entre um canalha que te diverte e um homem ideal que é extremamente certinho? Ou então, numa crise de solidão crônica, colocou um pijama e começou a cantar músicas deprimentes que te fazem lembrar um antigo amor ou alguém que não mereça seu carinho? E talvez quem sabe se acabar na academia só para mostrar para aquele cretino o que ele perdeu quando te trocou por uma vareta e insinuou que você tinha umas gordurinhas a mais ou estava acima do peso?
Pois é, todas nós, mulheres, temos o nosso lado Bridget Jones.




Bridget, para mim, é uma das centenas de ídolas do cinema. Uma das mulheres que inspiram as atitudes das outras, que trazem admiração e por que não afeto?
Nunca me imaginei casando, embora meus pais coloquem pressão psicológica para que eu tenha filhos - principalmente meu pai, minha mãe insiste que ainda mudarei de idéia-. Sempre gosto dos caras errados, aquele certinho nunca atrai minha atenção e tenho um sério problema com ansiedade: toda vez que fico ansiosa, extrapolo comendo e acabo tendo que fazer dietas e mais dietas para emagrecer.

Pois é, eu tenho meu lado Bridget Jones. E você?

Um comentário:

" Liberdade é pouco! O que eu quero ainda não tem nome "
Clarice Lispector